MAIS LINKS

DESTAQUE LEGISLATIVO MEMÓRIA TRANSPARÊNCIA
Câmara Jovem
Arquivos de Áudios
História de Marialva
Lei de Acesso à Informação
Câmara nos Bairros
Comissões
Homenagens
Diárias
Rádio Câmara
Lei Orgânica
Lista de Prefeitos e Vereadores
Prestação de Contas
Assista ao vivo
Mesa Diretora
Símbolos do Município
Orçamento e Finanças
INSTITUCIONAL
Ordem do Dia
 
Salários e Subsídios
Editais de Licitação e Pregão
Projetos de Lei
 
Contratos
Concursos
Proposições
 
Código Tributário
Hollerite Online
Regimento Interno
 
Perguntas Frequentes
Servidores
Sessões
   
Webmail
Tribuna Livre
   
Conselho de Ética
Legislador
Notícias
Agenda
Fotos
Contato
Pautas
Vereadores
Transparência
Mais links
HISTÓRIA DE MARIALVA
A origem de Marialva está inserida em um processo de colonização do Norte do Paraná, no inicio da década de 1920. Na época, entrou em vigor uma política que dava permissão a empresas particulares de promoverem a reocupação da região, onde hoje se encontram as cidades de Londrina, Umuarama, Arapongas, Apucarana, Cianorte e Maringá, até então, habitada por indígenas e caboclos. Adquiridas por um grupo de investidores ingleses, liderados por Simon Joseph Grazer (mais conhecido como Lord Lovat), essa grande extensão de terras foi dividida em zonas e lotes e colocada à venda pela Companhia de Terras do Norte do Paraná (CTNP).


Reunião política no Cine Avenida

Atraídos pelos preços acessíveis e fugindo dos efeitos da Grande Depressão sobre a produção de café em São Paulo, muitos agricultores vieram para o território paranaense. Neste contexto, da expansão da cultura cafeeira, que se estabeleceram em Marialva os primeiros moradores, muitos descendentes de italianos e japoneses. O avanço dos cafezais resultou na abertura de estradas e no surgimento de vilas e cidade e aos poucos modificou a paisagem local. Em 1920, a população total do Norte do Paraná era de 72.627 habitantes. Os dados evidenciam que, vinte anos depois, a região atingiu uma densidade demográfica, cinco vezes maior.


Reunião com autoridades políticas da região

Já em franco desenvolvimento, Marialva foi elevada a categoria de Distrito Administrativo de Mandaguari por meio da Lei nº 2, de outubro de 1947. Dessa forma, os representantes locais tiveram a oportunidade de participar politicamente, representando o distrito, na Câmara Vereadores da cidade vizinha. Das nove cadeiras disputadas, três foram ocupadas por candidatos marialvenses: Cariovaldo Andrade Ferreira, da União Democrática Nacional (UDN); Demétrio da Silva Braga, do Partido Social Democrático (PSD), que assumiu a segunda secretaria, e Francisco Silveira da Rocha, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB); Este último foi o primeiro farmacêutico e o primeiro deputado da cidade. Em 25 de outubro de 1949, Rocha renunciou ao mandato de vereador para concorrer uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná. Eleito em 3 de outubro de 1950, Rocha teve uma atuação fundamental na emancipação política do município de Marialva e demais municípios da região.


Prefeito Garcia Neto e autoridades estaduais

O nome dado à cidade é uma homenagem ao cavalheiro português D. Pedro de Alcântara de Menezes Noronha Coutinho (1713-1799) – o "Marquês de Marialva". O termo vem da língua ugarítica: "mhraby" significa "vigor paternal"; "vigor ancestral". O decalque teria surgido da expressão "Maria Ave", na Serra de Moura, em Portugal.

O Município de Marialva foi criado pela Lei Estadual nº 790/51, sancionada pelo governador Bento Munhoz da Rocha, e instituída em 14 de dezembro de 1952, com a posse dos primeiros vereadores e do prefeito da cidade. Três candidatos disputaram o cargo do Executivo: Demétrio da Silva Braga (PSD); Ezequias Lemes de Carvalho (UDN) e Antônio Garcia Neto (PTB). Ezequias tinha preferência do eleitorado. Com objetivo de derrotar o concorrente, Braga declina da oportunidade de concorrer e declara o seu apoio ao candidato Garcia Neto, que sai vitorioso na votação.


fachada do cinema onde foi realizada a solenidade de posse
do primeiro prefeito e vereadores de Marialva

A cerimônia de posse ocorreu no salão do Cine Avenida, que ficava situado na Avenida Cristovão Colombo. Na ocasião, o descendente de sírio libanês e proprietário da loja de secos e molhados "Casa Dois Irmãos", Kamel Izar foi eleito Presidente da Câmara Municipal. Confira a transcrição:


Desfile de autoridades políticas pelas ruas
de Marialvano dia da posse do primeiro
prefeito da cidade, Antonio Garcia Neto,
em 14 de dezembro de 1952.
Ata da solenidade da posse do primeiro Prefeito e Vereadores, eleitos no pleito de nove de novembro de mil novecentos e cincoenta e dois, que regerão os destinos do município de Marialva, criado pela Lei nº 790 de 14-11 de 1951; e instalado nesta data.

Às treze horas do dia quatorze de dezembro de mil novecentos e cincoenta e dois, teve lugar no salão do cinema local a solenidade da posse do Prefeito e Vereadores. Foi aclamado pelos seus pares o vereador Dr. Severiano Bitencourt para assumir a presidência provisória da solenidade. De posse da presidência o vereador referido declarou aberta a sessão, convidando a seguir o cidadão Guilherme Bender para secretariar os trabalhos da mesma. Logo após o Olmo Pref., digo Presidente convidou os Ilmos. Vereadores a tomarem assento na mesa da sessão, bem como as seguintes autoridades: S. Exª. Dr. Juiz Eleitoral da 60º Zona Eleitoral; S. Exª. Dep. Francisco Silveira Rocha; S. Exª. Cel. Alcides Amaral Barcelos; Revdmo. Pe. Vigário da Paróquia; Ilmo. Delegado da Polícia; Ilmo. Juiz de Paz; Ilmo. Presidente do Partido Social Democrático; Academico Luiz de Almeida Nevez; Ilmo. Presidente do Partido Republicano; Ilmo. Presidente do partido Social Progressista; Ilmo. Pedro Aliberti; DD. Prefeito de Rolândia e o Ilmo. Presidente da Câmara de Vereadores da referida cidade; deixando de comparecer o Exmo. Dr.

Comemoração da eleição de
Francisco Silveira da Rocha
à Assembléia Legislativa, 1950.
Juiz Eleitoral. Ilmo. Delegado de Polícia; Presidente do P.R. e Ilmo. Presidente do P.S.P. A seg, digo, A seguir o Ilmo. Presidente tomou o compromisso Solene dos Ilmos. Vereadores, declarando-os empossados em seus cargos, passando imediatamente a presidência ao Ilmo. Secretário tomando este o seu compromisso. Em seguida procedeu-se à eleição dos membros da Mesa da Câmara de Vereadores do Município de Marialva. Feita a votação o Ilmo. Presidente convidou os Ilmos. Cel Barcelos, Dep. Rocha e o Ilmo. Felipe S. Bitencourt para escrutinadores da votação, resultando a seguinte apuração: Para Presidente: Kamel Izar, 7- (sete) votos – 1 (um) voto em branco. Para 1º Secretário: Dr. Severiano Bittencourt – 6 (seis) votos. Para 1º Secretário: Samuel Daniel de Muzio – 1 (um) voto. Para 1º Secretário: Homero Sincero dos Reis – 1 (um) voto; Para 2º Secretário: Waldemar Ferri – 6 (seis) votos. Para 2º Secretário: Dr. Severiano Bitencourt – 1 (um) voto; ficando assim constituída a Mesa: Presidente: Kamel Izar; 1º Secretário: Dr. Severiano Bitencourt; 2º Secretário: Waldemar Ferri. Finda a eleição o Presidente da solenidade entregou a direção dos trabalhos ao presidente eleito. Constituída a Mesa da Câmara o Ilmo. Presidente nomeou uma comissão de três vereadores para convidar o Ilmo. Presidente da Câmara, que em brilhante improviso agradeceu a distinção de seus pares que o elegeram presidente da Câmara de Vereadores, como também as autoridades presentes e

Agrimensores da CTNP.
(Arquivo Companhia de Terras
Norte do Paraná)
o povo em geral pelo seu comparecimento à solenidade, que deveria ficar marcante na história de Marialva. Após o Ilmo. Presidente usaram da palavra vários oradores, entre eles o Ilmo. Pedro Aliberti, Prefeito de Rolândia; Academico Luiz Almeida Neves; Dep. Silveira Rocha; Dr. Severiano Bitencourt; Samuel D. de Muzio; Felipe S. Bitencourt; Cel. Alcides Amaral Barcelos e por fim o Ilmo. Prefeito Antônio Garcia Neto, que com grande emoção externou os seus propósitos sinceros em tudo fazer pela grandeza de Marialva e felicidade de seu povo. Improviso esse que empolgou a assistência da qual recebia os mais calorosos aplausos. Terminada sua oração o Ilmo. Prefeito convidou o povo a acompanhá-lo até o prédioonde ia proceder-se a benção eclesiástica pelo Ver. Pe. Vigário da Paróquia, nas dependências da futura Prefeitura e Câmara de Vereadores. Nada mais havendo a se tratar, o Ilmo. Presidente declarou encerrada a sessão, da qual lavrei a presente ata que vai por todos assina, digo que depois de lida e aprovada vai por todos assinada e por mim – Guilherme Bender – secretário "Ad-hoc".


A primeira Prefeitura Municipal foi instalada na Rua Washington Luiz, nº 609, em frente onde hoje fica a Escola Municipal Dr. Milton Tavares Paes, lugar onde permaneceu até o início da década de 1960. Já a primeira Câmara Municipal funcionou na Rua Formosa nº 254 até maio de 1958, quando foi transferida para a Rua Washington Luiz nº 954. A mudança da Prefeitura para uma construção de alvenaria na Avenida Washington Luiz, nº 1.224, permitiu que a Câmara de Vereadores fosse instalada no primeiro andar do mesmo prédio. O atual Paço Municipal foi inaugurado em dezembro de 1974.

A Câmara Municipal está localizada na Rua Nossa Senhora do Rocio, nº 873, desde outubro de 1988. Antigamente o terreno abrigou a casa de madeira que serviu ao 4º ano da Casa Escolar, a primeira escola da cidade. O edifício ganhou o nome do advogado e vereador Dr. Jerson Caponi de Melo, que geriu a Casa por seis mandatos.


Ata da Solenidade de
posse do primeiro prefeito
e Vereadores eleitos, 1952
parte 01 (Acervo Câmara
Municipal de Marialva)

Ata da Solenidade de
posse do primeiro prefeito
e Vereadores eleitos, 1952
parte 02 (Acervo Câmara
Municipal de Marialva)

Ata da Solenidade de
posse do primeiro prefeito
e Vereadores eleitos, 1952
parte 03 (Acervo Câmara
Municipal de Marialva)















Fonte: Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Marialva.

REFERÊNCIAS:

ALVES, Amanda Palomo; PELEGRINI, Sandra C. A. Histórias e Memórias dos Cafeicultores no Paraná: o cotidiano e as práticas de Trabalho da população de Marialva (1940-1960). In: Revista de História Regional, nº 15, vol. 1, Verão 2010. Ponta Grossa: Departamento de História da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

FERREIRA, João Carlos Vicente. Municípios Paranaenses: origens e significados de seus nomes. In: Cadernos Paraná da Gente, nº5. Curitiba: Secretaria de Estado da Cultura, 2006

MARIALVA. Plano Municipal de Educação 2014-2015. Disponível em:
www.camaramarialva.pr.gov.br/arquivos-apoio/PME-MARIALVA-final.docx.
Acesso em: jan. 2016.

RICIERI, Maria Teresa. Marialva: do café à uva fina. Maringá: Clichetec, 2008.


 
Câmara Municipal de Marialva - Rua Nossa Senhora do Rocio, 873 - CEP 86990-000 - Marialva / PR - Fone: (44) 3232-1300
Desenvolvimento